Loading...

domingo, 14 de agosto de 2011

Mais um texto do meu amigo Aquiles, amei!


A vida é doce (?!?)

Todo mundo tem um pouco de medo da vida já disse o poeta mas o que isso quer dizer? Fechar os olhos para todas as manhãs, renegar os prazeres que a existência nos trás?
Claro que é muito mais fácil se trancar num quarto vazio e frio e as vezes necessário mas não é fazer da solidão um bom lugar que nos fará crescer.
Estar só é necessário e bom para vermos de forma fria como pode ser miserável o ser humano, mas ao mesmo tempo pode ser uma armadilha, pois a dor é um vício em que podemos nos perder e não é isso que quero pra ninguém, eu já estive nesse inferno e lá eu me sentia muito mais arrogante e inteligente mas também muito mais vazio.Fui profundo,mas fui raso, e me perdi em mazelas sentimentais que não faziam sentido nem para meus grandes amigos e ao me perder tentando achar quem amo eu a perdi de vez.

A vida é enorme e embora dura e escura as vezes ela é gostosa, eu a sinto e hoje sei que não adianta explodir o mundo se você não vai fazer isso sem machucar os que ama.
Quanta bobagem sentimental, hoje estou assim, estou a fim de ouvir as musicas de Roberto Carlos de me afogar na contradição,não estou a fim de jornal e nem de sangue, hoje acho que quis algo a mais...talvez a famosa paz.

Hoje eu acordei cedo e fiz o café, nada como estar de folga.Hoje eu respirei fundo e por um instante acreditei em algo superior, uma força divina,e também entre uma canção e outra não me importei de não ter amor,como se por um instante eu compreendesse o mundo e aprendesse a esperar(coisa que nunca foi meu forte).
Eu não estou de passagem e por enquanto também não penso em deixar grandes marcas no mundo, mas em alguns indivíduos que me cercam sei que ficou algo, assim como deles há vestígios em mim: de cenas, de poemas de risos soltos, lágrimas e consolos.

Há algo estranho no ar...não sinto que é ruim, mas é estranho.O  tempo lá fora está frio e sinto saudade de não ter comigo esta melancolia,mas não chego a estar tão triste; existe um medo em mim que me faz mais forte, medo de deixar de acreditar que as pessoas tem algo a compartilhar, medo de deixar de ser um sonhador cafona, medo de perder a malicia.

Hoje senti o corpo de uma mulher, outra apenas poderia ser, mas entre todas que toquei quais me deixam generalizar?Todas diferentes, deixando seus rastros, suas cismas e mágoas...e eu acolho.
Agora ao lado de uma amiga escrevo...linda
devo dizer e me vou apegado cada vez mais a esses patéticos seres humanos de que faço parte .

Um comentário: